Feeds:
Posts
Comentários

Oi Gente,

Esse foi meu primeiro período fértil
Com tive ovários policísticos, foram algumas novidades para alguém tão desligada quanto eu.. rsss..
Senti umas cólicas estranhas… E bem fortes e fui descobrir que isso é normal!

Ja pensou cólica de parto.. afe..

“É comum durante a ovulação as mulheres se queixarem de uma dor abdominal, semelhante à cólica, provocada pela distensão do folículo na hora de eliminar o óvulo. Nessa fase, ela também produz e elimina um muco vaginal transparente, com aspecto de clara de ovo. E após o período ovulatório se nota um aumento de temperatura de 0,5º em virtude da produção de progesterona pelo folículo”

Então vamos vivendo de descobrindo cada novidade.

Bjsss

—————————————————————————————————————-

Você sabe dizer quando começa o seu período fértil? Conhece o que é hiperovulação? E após deixar de tomar a pílula, em quanto tempo estará pronta para engravidar? Pessoas com a síndrome dos ovários policísticos ovulam? Se você não sabe a maioria dessas respostas, é uma boa hora de se inteirar mais sobre o universo feminino e da reprodução. Você vai precisar dessa informações se estiver se planejando para uma gravidez e até mesmo para evitá-la!

A ovulação é um processo natural, pertencente ao ciclo menstrual de qualquer mulher. “É nele que o folículo ovariano é rompido, liberando o óvulo (célula reprodutiva feminina) para que encontre o espermatozóide (célula reprodutiva masculina) e ocorra a fecundação”, explica o diretor médico do Centro de Medicina Reprodutiva Huntington, Márcio Coslovsky. Este processo é controlado pela ação de dois hormônios: o FSH (Hormônio Folículo Estimulante) e LH (hormônio luteinizante), secretados pela glândula hipófise. Quando o óvulo é “liberado”, ele viaja pelas trompas em direção ao útero. Se for fecundado, ele se implanta no útero, num período que varia de seis a 12 dias de sua liberação, dando início à gravidez. Caso  contrário, o óvulo se degrada em 24 horas e, ao fim de alguns dias, ocorre a menstruação.

Algumas mulheres também relatam maior sensibilidade aos odores e desejo sexual nos dias que antecedem a ovulação. Pesquisas recentes da Universidade Estadual de Nova York apontam, ainda, que durante a ovulação a mulher fica com a voz mais sexy.

Quando começo a ovular? Existem sintomas físicos que demonstrem que estou ovulando?

O ciclo menstrual de uma mulher começa no primeiro dia em que ela menstrua e vai até o último dia antes da próxima menstruação. “Em mulheres com ciclos regulares de 28 dias, a ovulação ocorre entre o 11º e 15º dia antes de cada menstruação”, afirma Márcio. A conta é simples! Se o seu ciclo for de 35 dias, você irá ovular no 21º dia do ciclo (35 menos 14). Se for de 21 dias, será no 7º dia do ciclo (21 menos 14) e assim por diante.

Além de recorrer à calculadora, você poderá ficar atenta a algumas transformações no seu corpo durante esse período. “É comum durante a ovulação as mulheres se queixarem de uma dor abdominal, semelhante à cólica, provocada pela distensão do folículo na hora de eliminar o óvulo. Nessa fase, ela também produz e elimina um muco vaginal transparente, com aspecto de clara de ovo. E após o período ovulatório se nota um aumento de temperatura de 0,5º em virtude da produção de progesterona pelo folículo”, explica Márcio.

Minha menstruação é irregular. Existem testes e métodos mais precisos para determinar a ovulação?
Hoje em dia já existem métodos mais fiéis para saber o dia exato da ovulação do que observar a temperatura e o aspecto do muco vaginal. Dentre eles está a ecografia, equipamentos que medem o aumento do hormônio LH na urina e a progesterona no sangue. “Mas a técnica mais precisa atualmente é a ultrassonografia transvaginal. Através dela é possível ver o folículo crescendo e se rompendo”, esclarece Márcio. Existem ainda os testes de farmácia. “Eles funcionam como os de gravidez, mas os tracinhos indicam o pico de produção do LH que antecede a ovulação”. Quando o teste der positivo e o casal estiver querendo engravidar, ele deve ter relações nesse mesmo dia ou no dia seguinte, já que a ovulação, nesse teste, é prevista com uma antecipação máxima de dois dias. Mas a ginecologista Nilka Donadio adverte: “Eles não são totalmente precisos”!

Quantos dias após a ovulação é meu período fértil? Por que nessa fase a probabilidade de gravidez é maior?
Segundo o Dr. Márcio, o período fértil começa um dia antes da ovulação e dura até quatro dias depois. “Se durante o período fértil a mulher tiver relação sexual com um homem, a probabilidade de gravidez é de 15 a 18% ao mês. Se o casal manti ver relações sem proteção, as chances aumentam para 90% ao ano”, afirma o especialista.


Após parar de tomar a pílula, quanto tempo levo para engravidar?

De acordo com os especialistas, não há relação direta entre o fim da pílula e a gravidez. “Existem mulheres que engravidam na primeira tentativa pós-pílula e, nesses casos, a chance de gravidez de gêmeos é maior”, revela Márcio. No entanto, segundo Nilka, as mulheres que usam anticoncepcional injetável trimestral podem demorar até seis meses para voltarem a menstruar e ovular. E ela esclarece: “É normal um casal sem nenhum problema para engravidar demorar até 18 meses para que isso aconteça”.


Existe hiperovulação? Quais as implicações?

“Ainda que não seja comum, a hiperovulação pode ocorrer nos extremos da vida reprodutiva, isto é, no início da adolescência e depois dos 40 anos, em virtude uma produção excessiva de hormônio FSH”, explica Márcio. A única implicação é que o fenômeno aumenta a incidência de gravidez de gêmeos. No entanto, alguns medicamentos desencadeiam a hiperovulação e, nesses casos, ela pode ser perigosa. “Alguns remédios para engravidar podem provocar o desenvolvimento de vários óvulos no ovário causando problemas graves. Por exemplo, a  síndrome de hiperestímulo ovariano, que provoca ascite, trombose entre outros”, afirma Nilka. Mas isso só ocorre se as medicações forem tomadas em doses excessivas e sem controle de ultra-som.

Tenho ovário policístico. Não tenho ovulação? Como faço para engravidar?
A Síndrome dos Ovários Policísticos é uma disfunção que atinge cerca de 10% das mulheres em idade fértil e é caracterizada pela produção de cistos nos ovários que levam à ovulação irregular. Nestes casos, geralmente o intervalo de uma menstruação e outra pode variar de 45 dias a três meses, ou ocorrer a ausência da mesma, dificultando a gravidez. São sintomas da disfunção: aumento de pêlos no rosto, seios e abdômen, e sobrepeso. “Nesses casos, o melhor a fazer para emagrecer é praticar atividade aeróbica. Se ainda sim a mulher não voltar a menstruar, será preciso a administração de remédios”, explica Márcio. Mas, antes de se desesperar com o prognóstico, Nilka alerta: “Algumas mulheres tem ovários policísticos ao ultra-som, mas não têm a síndrome. Elas ovulam normalmente”.


Existem métodos de indução da ovulação?

Nem tudo está perdido quando a mulher não ovula e deseja engravidar. Além de comprimidos de citrato de clomifeno, bem comuns, já existem alternativas mais modernas para realizar o sonho de muitos casais em serem pais. “As gonadotrofinas, em comprimidos ou injeção, estimulam a ovulação, mas sua administração deve ser acompanhada pelo ultra-som para evitar casos como gravidez de sêxtuplos”, diz Márcio. Ele garante que se a dificuldade em engravidar for apenas devido à falta de ovulação, em alguns ciclos o problema estará resolvido. Mas nunca deve ser utilizado sem prescrição e acompanhamento médico, pois existem muitas contra-indicações.

Exercícios podem atrapalhar minha ovulação?
Não de forma moderada. Mas vale lembrar que os exercícios em excesso prejudicam a ovulação. “A gordura seca tanto que não permite que o ovário tenha o substrato necessário para produzir o estrogênio. Assim, a mulher deixa de ovular/menstruar e perde também os formatos feminino – seios, bumbum, curvas”, adverte Márcio. Entretanto, o processo é transitório e a mulher volta a ovular quando diminui a intensidade dos exercícios.

Fonte de pesquisa: Bolsa de Mulher

Anúncios

Oi Gente,

Nesse momento de preparativos tudo faz diferença.
Além de toda revisão médica que já estou começando, melhorar alimentação, tomar ácido fólico etc..

Estou querendo perder ums kilinhos para facilitar a vida.
Estou dentro do meu peso, mas com algum esfoço reduzir uns 3 kilos seria muito bom.
Comecei ontem a caminhar pela manhã são 3 Km por dia e fezendo uma dieta bem leve e rica e saladas e coisinhas saudáveis… ontem foi difícl hoje.. já foi tranquilo.

Minha idéia é facilitar a recupeção do corpo na volta e não engordar tanto…
Ainda vou ver sobre isso com minha médica.. Na verdade ainda não achei a ideal..
Esse semana, consegui 2 indicações bem legais e estou confiante vamos ver!

Enquanto isso achei uma matéria bem interessante sobre o assunto aproveitem!
Bjss

Carla
Mulher – Futura Grávida e Mãe

10 razões para emagrecer (antes de engravidar)

Está pensando em ficar grávida? Melhor entrar em forma, então. E não é questão de estética, mas de saúde: alcançar o peso ideal é tão importante quanto tomar vitaminas ou fazer os exames indicados durante os 9 meses

Quando a mulher decide ter um filho, o obstetra faz uma série de recomendações para a futura grávida. É necessário desde fazer exames de sangue para detectar doenças que podem ser prevenidas por meio de vacinas, como rubéola, até começar a tomar ácido fólico (vitaminas do complexo B, que previnem danos neurológicos no bebê) alguns meses antes e no primeiro trimestre da gestação. O peso, porém, costumava ser assunto para ser discutido depois, já com o bebê a caminho. Não mais. A obesidade da mãe, afinal, pode causar uma série de problemas na criança e incômodos durante a gravidez. Como mostra uma revisão de diversos estudos já feitos sobre o tema, publicada recentemente no jornal científico Nursing for Women’s Health, dos Estados Unidos.

A pesquisa mostra, por exemplo, que os bebês de mulheres que engravidaram obesas correm mais risco de sofrer malformações, assim como de se tornarem obesos na vida adulta também. Além disso, elas teriam mais chances de ter diabetes gestacional, hipertensão, pré-eclâmpsia e hemorragia no pós-parto.

Confira, a seguir, essas e outras razões para estar de bem com a balança antes de a barriga começar a crescer.

1. Mais tempo para ficar grávida
A obesidade pode dificultar a concepção. se ambos os parceiros forem obesos (ou seja, Imc acima de 30), eles demoram mais tempo para engravidar, comprova uma pesquisa dinamarquesa realizada com 48 mil casais e publicada na revista Human Reproduction, no ano passado. Em geral, eles têm probabilidade três vezes maior do a de um casal com peso adequado de levar mais de um ano para engravidar, o que os médicos chamam de baixa fertilidade. os casais com sobrepeso (Imc entre 26 e 30) também são afetados: têm uma vez e meia mais possiblidade de ter de esperar por mais tempo. A explicação está no impacto da obesidade sobre os hormônios femininos. Em alguns casos, o excesso de peso pode até mesmo ser conseqüência de algum distúrbio hormonal. os problemas mais comuns são a síndrome dos ovários policísticos e o hipotireoidismo (quando a glândula tireóide não produz hormônio suficiente), que podem até interromper a ovulação. Já nos homens, a obesidade também atrapalha a fertilidade. Ela influencia a produção de testosterona, o que pode afetar a vitalidade dos espermatozóides e também o desejo sexual, segundo um recente estudo escocês.

2. Mães gordas, crianças obesa
Gestantes com excesso de peso têm maior probabilidade de dar à luz bebês com peso acima da média. De acordo com uma pesquisa da universidade de Harvard (EuA), essas crianças também correm mais risco de se tornar obesas na primeira infância. A relação entre o ganho de peso gestacional e o sobrepeso da criança pode ser de origem genética ou comportamental, já que as crianças acabam herdando os hábitos alimentares da família. Além disso, a quantidade de peso ganho na gravidez também pode interferir no ambiente uterino, influenciando o crescimento fetal, o que reforça a tese de que certos tipos de doenças na vida adulta são “programadas” durante a gestação. Ainda que as conclusões sejam baseadas na quantidade de quilos ganhos na gravidez, não há como fugir: o “resultado final” (peso da mãe e do bebê) está diretamente relacionado ao peso da mulher ao engravidar.

3. Quanto engordar
Claro que todas as mulheres têm de prestar atenção aos quilos ganhos durante a gravidez, mas quem já estiver com alguns extras antes mesmo de engravidar vai ter de se controlar mais. Não há consenso entre os obstetras sobre quantos quilos a mulher deve engordar durante a gestação; as tabelas seguidas por eles têm indicações variadas. Alguns recomendam entre 9 e 11 quilos, outros de 11 a 15 quilos. Há ainda outra tabela que estima que o ideal é engordar cerca de 15% do total do peso pré-gestacional. E não é só a quantidade de quilos ganhos que conta, mas a saúde, a idade e os hábitos alimentares da gestante. seja qual for a tabela que o obstetra vai seguir, todas levam em conta o estado nutricional da grávida e seu IMC ao engravidar. O que significa que, quanto mais alto esse índice, menos ela deve engordar.

4. Estou linda?
Por maior que seja a satisfação em estar grávida, nem todas as mulheres se sentem bonitas nesse período. uma das coisas que mais interferem no visual é o inchaço (ou edema). No rosto, por exemplo, aumenta o tamanho do nariz. Nos pés, dificulta o uso de sapatos e, nas mãos, o de anéis. os edemas aparecem em 75% das gestantes e são mais freqüentes a partir do quinto mês. Não há como evitá-los totalmente, mas estar em forma, com certeza, facilita!

5. Desconforto à vista
O excesso de peso potencializa alguns desconfortos comuns na gravidez, como dificuldade para respirar e andar. Isso porque há um maior esforço cardiovascular para suportar os quilos a mais. o peso do abdômen também causa dores nas costas e nas pernas, aumentando a sensação de cansaço.

Fonte: http://revistacrescer.globo.com/Revista/Crescer/0,,EMI13773-10484,00.html

Oi Gente,

Ontem foi dia das mães e na mídia o assunto não era outro..
Fiquei la assitindo, e de repente trocando de canal achei uma matéria no programa do GUGU…

Sim, Sim, Gugu!! E foi bem interessante!
Ele foi fazer uma matéria em Miami sobre enxoval de Baby, e me pareceu que esta grávido novamente.
:  )

Enfim, tenho pelo menos  3 amigas que foram fazer compras no USA para seus babys..
No começo, pensei que fosse modinha, era coisas de quem pode.
Mas olha que nada!

Andei descobrindo que além do “passeio” a oportunidade é realmente um ótimo negócio!
Imagine, 5 bodyes lindos por R$ 28,00. Putz tudo.. lindo e com preço que as vezes batem os 50%
Quem tem milhas para trocar pode investir que vale a pena.

Achei inclusive várioas post´s sobre o assunto que estão aqui:
http://www.blogdamariah.com.br/2010/10/dicas-de-enxoval-em-miami/
http://mamaevaiascompras.blogspot.com/2010/02/compras-para-pequenos-em-miami-haja.html

http://www.licencamaternidade.com/blog/2009/02/enxoval-de-bebe-nos-eua/

Deu vontade viu! Por enquanto vou ficar só na vontade, e quando chegar a hora, encomendo para a cunhada e amigas que estão viajando por ai umas coisinhas com preço melhor…
Vamos vendo.. Mas a dica é ótima!

Veja a matéria completa!
http://migre.me/4uAJG

Olá Mães e Pretendentes…

Sabemos que o corpo muda muito durante a gravidez e os cuidados com a limentação são fundamentais.
Essa semana, achei uma matéria muito bacana falando sobre o assunto… Editei uns trechos por que ela é bem técnica. #revistamedicando

Boa alimentação na gestação diminui o risco de a criança desenvolver doenças crônicas quando adulta.

Quando escolhe o que vai comer, a grávida não está somente decidindo como preservar sua própria saúde e seu bem-estar durante a gestação. O desenvolvimento adequado da criança também está em jogo e precisa ser levado em conta, pois as conseqüências para o futuro do bebê podem ser graves.

As gestantes representam um grupo com muitas particularidades na composição de sua dieta. Com a gravidez, surgem novas demandas nutricionais para sustentar o processo que está sendo desencadeado no corpo da mulher.

A mãe entra em um estado anabólico, no qual, por meio de moléculas simples, passa a criar moléculas mais complexas e assim começa a dar forma ao novo feto. Assim, ela necessita de ajustes contínuos em relação à ingestão de nutrientes que suportem essa nova fase.

A nutrição inadequada nesse momento influencia na predisposição do indivíduo a doenças crônicas não transmissíveis ao longo da vida, como, por exemplo, diabetes, obesidade, problemas cardio-vasculares e câncer. Isso se dá por um fenômeno conhecido como imprinting ou programação metabólica.

Para entender sobre programação metabólica, cabe explicar cientificamente que ela ocorre como resultado de alterações epigenéticas, que são modificações na expressão (ativação) dos genes ocorridas durante as divisões celulares.

Portanto, no período gestacional, a dieta deve ser equilibrada, quantitativamente suficiente, qualitativamente completa, harmoniosa nos seus componentes e adequada à sua finalidade. É importante ressaltar que, durante esse período fisiológico, em muitos casos, se faz necessária a suplementação de nutrientes e, para determiná-la, é preciso considerar a individualidade bioquímica – conjunto único de fatores genéticos que controla o metabolismo, as necessidades nutricionais e as sensibilidades alimentares de cada indivíduo.


Dicas de nutrientes e alimentos importantes durante a gestação:

  • Folato: presente em vegetais em tons verdes escuros;
  • Colina: encontrada na Soja e na gema de ovo;
  • Vitamina A e B12: ambas provenientes de produtos exclusivamente de origem animal;
  • A Metionina, Zinco e vitamina B6: encontrada em cereais integrais, carne bovina, frango e peixe;
  • Genisteína presente na soja;
  • Polifenóis: encontrados em frutas e hortaliças frutas e hortaliças;
  • Selênio: que possui como principais fontes alimentares oleaginosas, como a noz e castanhas da par

    Veja a Matéria completa: http://www.revistamedicando.com.br/volume/1/edicao/4

Então,

A maior parte das minhas amigas já são mães!
Por isso, muitas coisas sobre o assunto ja andei vendo. Mas são tantos e tantos assunto que mal sei por onde começar rss…

Fui em uma feira do Bebê e da Gestante outro dia!
Ai gente cada roupinha, cada produto, moveis, apretechos.. gente..
Conhecí até uma empresa que faz o armazemamento do sangue do Cordão Umbilical, muita tecnologia.. e As Doulas!?!?

Parto normal, de Cócoras, Cesariana..
Pode pintar o cabelo?!?! O que pode e o que não pode?
Pillates, Yoga ou Hidroginástica!??!

Enfim eu só sei que nada sei!!!
:  )

E que estou tomando minha última cartela da Pílula em Maio!!
E depois vemos o que acontece, sei que pode demorar enfim cuca fresca.
Família e amigos só irão saber desse blog depois que já estiver gravidinha para não gerar ansiedade. Enquanto isso divido tudo com vocês!

Minhas fiéis escudeiras e companherias de jornada!
E vamos descobrindo juntas!
Bjs

Oi Gente,

Me chamo Carla, tenho 31 anos, moro com meu noivo Fábio em Campinas.
Ainda não desisti de casar bonitinho, mas o desejo de ser mãe tem sido cada dia mais forte!

Pronta, para isso nunca achamos estar, mas o fato é que se você pensar muito não faz nada na vida! Por isso, decidimos começar os preparativos para organizar a chegada do nosso Baby!

Temos muitos sonhos, mas como toda Mulher Independente e Mãe de Primeira Viagem, tenho muitas dúvidas, preocupações e curiosidades! Por isso resolvi fazer desse blog um cantinho especial para dividir com todas  Mulheres, Grávidas e Mães tudo que passa pela nossa cabecinha em cada fase desse momento mágico tão esperado por todas nós!!
Quando a Mulher fica Grávida e se torna MÃE!!!

Vai ser uma aventura Linda!
Cheia de Momentos Emocionantes e Muito Feliz!

Sejam bem-vindas!!

Bjokas da Carla
Mulher, Futura Grávida e Mãe!